sábado, 18 de junho de 2011

Quem ama o próximo discrimina?




Falar de homossexualidade é sempre um assunto delicado, porém, mais do que necessário em nossa sociedade, uma vez que ainda há pessoas pouco informadas sobre o assunto, pude perceber isso quando li um comentário sobre o primeiro beijo gay da televisão brasileira, este foi transmitido pelo SBT durante um dos capítulos da novela Amor e Revolução, há quem acredite que um beijo gay possa influenciar pessoas a reproduzi-los depois de tê-lo visto.

Isso demonstra o quanto algumas pessoas estão mal informadas sobre o assunto, já que, sabemos que a homossexualidade não é contagiosa, não se trata de uma doença, a pessoa nasce assim, e se descobre no decorrer na vida.

Lamentável vermos que, em pleno o século XXI, ainda exista tantas pessoas que discriminam os homossexuais, uma vez que para eles assumirem sua homossexualidade não é tarefa fácil, exatamente por serem vítimas de preconceitos.

Recordo-me que certa vez, em sala de aula, discutíamos o fato de uma amiga querer comprar um carrinho de brinquedo para sua filha, e sua mãe, a avó da criança, era contra essa decisão, até que outra mãe presente em sala de aula, dizia não ter preconceito, mas que também não compraria uma boneca para seu filho brincar, minutos depois de tanta discussão, um amigo gay assumido, finaliza o debate com seu depoimento: “Gente, passei a infância inteira brincando de carrinho, e não adiantou nada.”

Outro fato curioso foi quando o cantor Ricky Martin assumiu sua homossexualidade, em março de 2010, Ricky perdeu alguns de seus fãs, o que nos faz refletir que tipo de fãs eram aqueles, já que esquecem toda a admiração e carinho que tinham pelo cantor, pelo simples fato dele ter assumido sua homossexualidade, por outro lado, Ricky ganhou outros admiradores. Como mulher, acredito que a grande maioria sempre o teve como referência de beleza masculina, e mesmo depois de sua revelação, também acredito que muitas destas mulheres, não passaram a achá-lo feio, pois sua beleza ainda permanece depois de sua declaração.

Algumas igrejas condenam a homossexualidade, e neste caso, me pergunto, onde essas religiões colocam um dos principais mandamentos que nos ensinam: ‘Amar o próximo como a ti mesmo’, ao invés de aproximar essas pessoas de seus templos, estes acabam por afastá-las com julgamentos.

Certo dia, conversando com minha prima, estudante de Serviço Social, Irineia Sarmento, a mesma me disse que discutiram em sala de aula a adoção gay, sim, a suposição da adoção de uma criança homossexual por um casal heterossexual, e a maioria de suas colegas de sala eram contra, pois estavam muito preocupadas com o que a sociedade iria pensar, o que é lamentável para futuras Assistentes Sociais, minha prima então finalizou a discussão quando disse: “Estamos aqui sendo egoístas, uma vez que estamos deixando nosso ego falar muito mais alto, ao invés de darmos prioridade para uma pequena criança que precisa de um lar e de amor.”

Temos acompanhando alguns casos de homofobia pelos noticiários, recentemente, tive conhecimento de um caso desumano, em Natal-RN, através do blog de um amigo, Ladislau Uda, acesse o link: http://linguagemlauriana.blogspot.com/2011/06/homofobia-basta.html.

Depois de ler tanta crueldade, me perguntei o motivo de tudo isso, o que ganha, se é que alguém ganha algo cometendo tantas maldades como estas... Conheci alguns homossexuais, todos eles de bem, responsáveis, cuidadosos e dedicados aos seus pais, alguns até mais do que muitos heterossexuais por aí... É revoltante e triste vermos o rumo que a nossa sociedade está tomando, me preocupo sim com o outro, com meu próximo e com o que posso fazer para ajudá-lo, não sei se vir aqui escrever sobre o assunto seja uma contribuição, não podemos ficar parados diante de tantas injustiças.

Ninguém escolhe ser homossexual, duvido que estas pessoas optassem pelo caminho da dor, já que são discriminados por grande parte da sociedade. Aos que discriminam, psicologicamente falando, estão mal resolvidos sobre sua própria sexualidade, não sou eu quem está afirmando isso, já ouvi psicólogos falando sobre o assunto, portanto, se você se sente incomodado com o tema ou conhece alguém que se incomoda, é bom que procurem ajuda profissional, é bem melhor do que sair por aí cometendo crimes cruéis e destruindo famílias

Deixo acima um vídeo muito interessante, que recebi como sugestão de um amigo, fala sobre a descoberta de sentimentos de um garoto por seu novo amigo de colégio. O curta foi produzido com o apoio do Ministério da Cultura, com o objetivo de contribuir para a discussão do tema nas escolas.


E você, o que pensa sobre homossexualismo e a homofobia?

Um comentário:

  1. Infelizmente o que a gente pensa sobre a homossexualidade não interfere para q eles apanhem todos os dias quando saem de casa, pelos motivos mais torpes do mundo.É lamentável,aterrorizante,amendontrador tudo isso q acontece só por eles não serem como a sociedade acha q deveriam ser.Vivemos num mundo q não suporta a ideia de não sermos iguais!
    Laís

    ResponderExcluir