terça-feira, 2 de novembro de 2010

Falar da morte não é fácil...


O dia de hoje é ideal para falar sobre o assunto, 02 de Novembro, Dia de Finados, onde todas as atenções hoje são voltadas para relembrarmos das pessoas que já se foram...
Estava esperando o momento certo pra falar do assunto, além de ter sido um tema sugerido por uma amiga, Martha Mary, não estamos livres desta realidade.
Me lembro que durante a minha infância meus pais tinham muito cuidado com o nosso comportamento neste dia e ocasiões de falecimento de alguém, eles não gostavam que ouvíssemos música muito alto, questão de respeito a dor do outro, o que quase não existe mais hoje.
Falar da morte não é assunto fácil, mesmo sendo ela a única certeza que temos vida, há tempos falo sobre o assunto com algumas pessoas e todos me dizem a mesma coisa...
Sempre falo entre amigos e familiares: "Quando eu morrer...." e alguém sempre me diz: "Credo Ju, para!", mas sempre tento lembrar: "Gente a morte é a única certeza que temos na vida!", aí o discurso já muda, as pessoas passam a concordar comigo.
O fato é que perder alguém não é fácil, ainda mais a morte, que em alguns casos nos pega de surpresa, sim porque achamos que ficamos preparados para este momento se uma pessoa está doente ou algo parecido, ou seria isto mais uma desculpa para justificarmos um atropelamento, uma morte repentina?
Cada pessoa tem um maneira diferente para reagir diante a morte, há casos de quem perde que demonstra egoísmo, mesmo sabendo que a pessoa sofreria muito em vida, não aceita o fato dela ter partido e alega que passaria o resto da vida a cuidar daquela pessoa, mas a nossa existência neste plano não é eterna, sabemos que isso vai acontecer, mas a dor da perda é tão grande que nos achamos capaz de conseguir "driblar" esta certeza.
Às vezes tento pensar na morte, na minha e na das pessoas ao meu redor, e juro, caio aos prantos ao pensar que um dia perderei as pessoas que amo na vida!
Foi essa a minha reação quando perdi minha avó paterna e um tio materno, seja lá qual for o grau de parentesco, quando acontece uma morte na família, sempre mexe com a gente, por mais distante que seja a relação, daí começa-se a tentativa de mudar o jeito de viver a vida, sim porque sempre se acha que a partir daquela perda se vai mudar convívio, aproveitar melhor os momentos e principalmente as pessoas.
A morte nos faz refletir sobre a vida, e nem sempre as pessoas querem pensar sobre o assunto, querem apenas vivê-la, mas isso impede de que percebam se estão fazendo da melhor maneira possível.
Quando alguém se vai é que se começa a pensar: "Caramba, como não soubemos aproveitar o momento!", "Nossa como ele se foi cedo e não fizemos metade do que planejamos.", entre tantas coisas que pensamos quando recebemos a notícia de que alguém se foi.
Não temos o poder de impedir a morte, mas temos o poder de ainda mudar a maneira de viver, sim pois este é o contrário dela, temos de saber aproveitar os momentos e as pessoas enquanto há tempo, para que assim evitemos o arrependimento.
Acho que um dos piores erros do ser humano é achar que tudo está sempre ao seu dispor, achamos que as pessoas estarão sempre morando na mesma casa e quando batemos na porta, vemos que o dono mudou, achamos que o número é sempre o mesmo e quando ligamos, nos vem a surpresa de já ter mudado ou não completar mais a ligação, achamos que vamos sempre encontrar a pessoa pelo trajeto que fazemos até descobrirmos que a pessoa foi morar em outro estado, e pior, quando alguém nos liga dizendo que 'fulaninho' acabou de morrer...
Aproveitar cada momento como se fosse o único, uma das lições que um assunto como esse nos ensina;
Rever alguns conceitos e valorizar coisas que de fato tem importância é outro bom ensinamento;
Estar sempre entre pessoas queridas e saber aproveitar cada momento junto de quem amamos, seja num parque, numa boa conversa, cozinhando, jogando dominó, enfim, qualquer coisa que nos satisfaça ao lado de um ser especial.
A morte não é algo fácil de lidar, mas tenho certeza que ensina alguma coisa pra quem fica, é claro!
A saudade fica, aliás só sentimos falta do que nos faz bem!
A tristeza deve ter limite para que não vire depressão.

Optei desta vez por colocar duas versões para esta postagem, a imagem da morte que criaram, sim a foto do início, que inclusive é a mesma do tarô, que tem como significado a transformação na vida da pessoa, é quando uma nova fase está para começar. E a outra opção é o vídeo para o Grupo Vila de Natal que foi criado pela Agência Pandora, que traz um texto lindo e uma locução maravilhosa!

São duas maneiras de se ver a morte, acho que de início vemos mesmo a morte como algo horrível, não que ela se torne linda no passar do tempo, mas quando conseguimos superá-la, a imagem que temos dela muda.

Precisamos mudar enquanto há tempo, aproveitarmos a vida plena que Deus nos permite ter, pois quando a morte chegar, será tarde demais para lamentar o que não foi feito!

Portanto, vou ficando por aqui e aproveitar a linda tarde de sol que está fazendo ao lado de pessoas queridas enquanto estamos vivas!


E você, o que pensa sobre a morte ser a única certeza que temos na vida e não estarmos preparados para ela?



video

4 comentários:

  1. finalmente minha querida amiga, vc percebeu que escreve bem. Muito legal. Parabéns. Olha já coloquei no meu blog e já estou te seguindo, sucessos menina vc vai longe, saudades.

    ResponderExcluir
  2. Sempre encarei a morte com a unica certeza que tenho da vida, isso não é ser morbido, como pensam alguns, isso é não ter medo. Na mitologia também tem coisas lindas sobre esse tema. Nunca encarei como algo terrivél como pensam alguns. Perdi avós e avôs, tios e tias, amigos e amigas e meu pai e não me desesperei em momento nenhum, na realidade sempre encaro como se eles estivessem em uma longa viagem, seus rostos vem a minha mente e suas lembranças me fazem sorrir, refletir, lembro de certas palavras e não os encaros como bonzinhos só porque já não estão mais aqui, conheço e reitero cada defeito deles, mas as qualidades sempre foram maiores e sim sinto muita saudades, mas a saudade é algo bom, nos faz amar ainda mais quem já amamos.
    Adorei os temas JU.Xero.

    ResponderExcluir
  3. Realmente não dá para encarar a morte de peito a berto, quando ela vem trás com ela muito sofrimento, dor, e questionamentos sobre se é dessa forma que a vida termina, eu espero e acredito que não. O que temos a fazer é aproveitar os momentos que juntos e saber que nada é para sempre, ainda bem!!!
    Lais

    ResponderExcluir
  4. Amiga,eu sugeri este tema pra vc,mesmo sabendo que falar da morte não é nada fácil.Pois só sabe o que ela é de fato,quando se perde pessoas queridas,sejam parentes ou não,pois todos,tem o seu real valor pra todos nós!Eu perdi há 16 anos atrás,o meu herói maior,o meu pai,pessoa pela qual eu tenho um orgulho tremendo,e nunca irei esquecê-lo!Pois seus ensinamentos,estão muito vivos dentro de mim,me fez ser o que sou hoje,há 6 meses,perdi minha mãe,aquela que me deu a vida,cujo ensinamentos estão muito presentes em meu viver!Eles dois;pai e mãe são exemplos que segui na criação de minhas duas filhas,que são meus tesouros maior!Portanto,o que fica sobre falar da morte é que ela é dolorosa pra quem perde e feliz pra quem se vai.De uma coisa eu afirmo com toda a certeza:JAMAIS esquecerei os que se foram,pois estão muito vivos na minha memória e no coração!!Bjs.

    ResponderExcluir